Monitoramento Legislativo: Melhores Práticas

Mas, afinal, o que é o Monitoramento Legislativo: Melhores práticas? Quais as formas que podem ser feitas para tornar esse processo cada vez mais eficiente? Muito além disso, quais são as vantagens em se realizá-lo? Então, vamos saber mais sobre as Melhores Práticas!

O que é monitoramento legislativo?

O Monitoramento Legislativo é uma forma de agrupar os dados presentes na área do Legislativo em uma só plataforma. É uma estratégia que traz as informações do que está em tramitação de uma forma fácil e eficiente de ser regulada, informada e estudada. Assim, é o tipo de atividade que consegue colocar os cidadãos no mesmo círculo de informações dos legisladores e dos tomadores de decisão.

Melhores Práticas do Monitoramento Legislativo

Monitoramento Legislativo Manual

1) Agrupe pesquisas de diversas fontes legislativas manualmente

Há duas formas de realizar o Monitoramento Legislativo. A princípio, uma das formas é a manual, que consiste em agrupar pesquisas retiradas de diferentes fontes e dados das mais diversas áreas, como agropecuária, educação, saúde. O que mais diz respeito à esfera pública.

Essa forma, às vezes, não é a mais eficiente, já que o trabalho manual dá margem a mais erros, aumentando a probabilidade de deixar alguma fonte importante para trás. Existe um gasto muito grande de tempo e energia nesse processo. A outra, é a forma automática e que veremos mais a frente!

2) Acesse sites oficiais da casa legislativa.

O monitoramento manual é realizado a partir de pesquisas diárias em diferentes fontes, como os sites da Câmara, do Senado, das Assembleias Legislativas de cada Estado, das Câmaras Municipais, dos Diários Oficiais etc. Nessa busca, aparecem várias informações a respeito de projetos sobre saúde, agropecuária, aprovação de defensivos agrícolas, proteção aos dados e outros que podem ou não ter impacto na sua organização.

3) Filtre proposições legislativas.

A partir disso, é necessário filtrar as proposições. Dessa forma, começa a ser possível acompanhá-las via acesso e pesquisa nas fontes oficiais. A dificuldade existente é que — além de ser fácil esquecer alguma fonte e levar muito tempo para fazer a busca — cada site tem uma interface diferente. Em um, o campo de busca está no topo. Em outro, no rodapé. Essas alterações, a princípio, pequenas, geram um desgaste mental grande. E aqui estamos ignorando as não poucas vezes em que os sites estão fora do ar.

Alguns sites oferecem o serviço de push para envio de notificações, via e-mail, sobre as alterações legislativas. No entanto, esse serviço nem sempre está disponível. Dessa forma, é comum a mensagem chegar com  atraso, por exemplo. No mais, não cobrem a descoberta de novas matérias, o que acaba tendo que ser feito na unha.

Monitoramento legislativo automático

1) Pesquise ferramentas de automação para monitoramento legislativo existentes no mercado.

A outra forma de realizar o monitoramento é de maneira automatizada. A princípio, ele possui o mesmo objetivo do manual, porém sendo executado de forma automática. Ele funciona pela inserção dos dados desejados na área de pesquisa da plataforma. Dessa forma, ela te dá as atualizações e os gráficos com todos os números necessários para o monitoramento. É isso, portanto, que torna essa maneira muito mais eficiente, certeira e rápida para o desenvolvimento dessa atividade. 

Portanto, existem ferramentas que usam automação para agrupar, filtrar e organizar o monitoramento legislativo. Tudo o quê você faria sozinho! Desde já, pesquise, procure demonstrações e avalie a melhor opção  para uma Gestão de Risco Regulatório eficiente.

2) Implemente a solução com automação para o monitoramento legislativo.

Implemente a plataforma que faz o monitoramento legislativo como prática do seu trabalho. Participe de treinamentos para aprender  as funcionalidades  necessárias um trabalho mais seguro e confiável. Então, utilize este recurso com frequência, assim como você abre o seu email todos os dias.

Parte da gestão de risco regulatório

O monitoramento traz vantagens muito estratégicas para as empresas que o aplicam. Ele é capaz de juntar um grande número de informações sobre as mais diversas áreas legislativas que tramitam no país. É um projeto que vem ganhando muita força nos últimos anos, principalmente sobre a forma automatizada.

Afinal, a tecnologia consegue tornar um trabalho muito desgastante, com a inserção de dados variados, em uma atividade muito mais rápida. Torna-se mais confiável do que antes. Por fim,  o Monitoramento Legislativo é parte da Gestão de Risco Regulatório.

Gostou? Deixe seu comentário!

Compartilhar

Sobre o autor

Letícia Medina

Letícia Medina

Analista de marketing da DataPolicy responsável por estratégia de conteúdo de marketing e marketing digital da startup.