Gestão de Risco Regulatório – Base para Relações Governamentais

Você tem dúvidas sobre Gestão de Risco Regulatório e como isso pode ser a base para Relações Governamentais? Nesse artigo vamos mostrar todos os pontos e ainda o essencial para gerir os riscos!

  • O que é Gestão de Risco Regulatório?
  • Como fazer a gestão desse risco?
  • Ferramentas úteis para gerir o risco
  • IA para análise do Impacto Regulatório
  • Qual a importância de gerir esse risco?
  • A Base para RelGov!

Mas afinal, o que é Gestão de Risco Regulatório?

Ao ouvir o termo Gestão de Risco Regulatório é possível que você se assuste num primeiro momento. Mas, não há o que temer! Aqui, a gente te explica o significado e como gerir esses riscos. Para isso, vamos dividir o termo em duas partes.   

A primeira parte, Gestão de Risco, é a análise dos eventos incertos e repentinos, que geram perigo ou probabilidade de erro para seu negócio ou organização. Isto é, estudar toda influência, impacto e todas as situações nas quais a empresa pode eventualmente estar.

Por exemplo, no seu café da manhã… Quando você passa manteiga no pão, você sabe que há grandes chances de, se o pão cair, ele cair com a manteiga para baixo. A famosa Lei de Murphy nos mostra que a chance de algo dar errado é sempre maior do que esperamos.

Já a segunda parte, quando tratamos de Risco Regulatório significa que estamos observando os perigos que a aprovação de uma lei ou política, por exemplo, pode causar no meio que nos cerca. Lembrando que se algo pode dar errado, vai dar errado!

Dessa forma, deve-se entender a Importância dos stakeholders na Organização para a segurança de sua imagem e também para reconhecimento no mercado, visto que a gestão inadequada pode causar danos, pois interfere na organização da empresa. 

Além disso, Gestão de Risco Regulatório é também estudar as inconformidades já presentes na empresa ou possíveis inconformidades que possam surgir com as mudanças políticas. 

Como fazer a gestão desse risco?

Quer entender o passo a passo dessa gestão? Agora vamos explicar inclusive como uma startup política e tecnológica faz esse trabalho!

Ferramentas úteis para gerir o risco

Para saber como fazer a Gestão do Risco Regulatório é preciso, primeiramente, monitorar as regulações. O Executivo e o Legislativo são os principais focos para quem quer ficar por dentro de tudo que acontece no ambiente regulatório.

Para isso, o gestor tem que monitorar, principalmente, esses dois Poderes realizando buscas nos sites oficiais, lendo Diário Oficial da União e as matérias em tramitação, além do Poder Judiciário.

Se você já nos acompanha há mais tempo sabe que esse processo manual pode ser bastante cansativo e pode ter diversas falhas  [se você não sabe, confira as melhores práticas para monitorar o poder legislativo. Mas, com o avanço das tecnologias e principalmente da Inteligência Artificial, você pode automatizar esse processo e ganhar tempo para outras atividades importantes.

Além disso, é necessário medir a eficácia dessas operações de Gestão de Risco Regulatório. Também medir o impacto dessas ações na empresa. Dessa forma, juntando todas as informações necessárias, se atinge a tomada de decisão focada na Gestão de Risco Político e Regulatório.

Para ir além de ferramentas só manuais, temos soluções que utilizam inteligência artificial para analisar o impacto regulatório. Essas estão ficando cada vez mais comuns no nosso cotidiano graças à ascensão das RegTechs, startups focadas em regulação.

IA para análise do Impacto Regulatório

Parlamentares aglomerados no Congresso Nacional durante desentendimento. Créditos da imagem: Ana Luiza Sousa.

A Inteligência Artificial é ferramenta essencial nesse processo aqui na DataPolicy. Vamos te explicar um pouco mais como isso funciona!

A tecnologia e a Inteligência Artificial: elas permitem analisar os dados necessários para que os processos de governança, risco e compliance possam ser mapeados e descobertos com antecedência, além de permitir que todo trabalho seja automatizado. A antecipação e o monitoramento de regulações, a avaliação de riscos e a organização de estratégias regulatórias são serviços que nós da DataPolicy fazemos através de plataformas tecnológicas, ajudando a organizar estratégias de ação objetivas para diferentes tipos de Organizações!

Sendo assim, o primeiro passo é monitorar e analisar o ambiente regulatório. A partir disso, é possível conhecer os impactos, os riscos prováveis e já existentes. Além disso, pode-se concluir o que deve ser monitorado e analisado. Também é importante comunicar sobre o que toda equipe juntou neste estudo.

Um exemplo dessa comunicação interna é o software de Gestão Regulatória da DataPolicy, que permite que todos possam acompanhar e organizar regulações e outras informações legislativas e executivas em dashboards simples. Dessa forma, a DataPolicy estuda, extrai e organiza dados regulatórios através de uma plataforma que conta com um sistema integrado, o que facilita a mineração desses dados de forma automatizada.

Conexão entre Sociedade e Governo

Nós, da DataPolicy, trabalhamos com acesso a diferentes bases federais e estaduais brasileiras com mecanismos de pesquisa inteligente. Dessa forma, organizamos dados regulatórios dos poderes da união que geram uma agenda política unificada. Isto é, ofertamos a vantagem de conseguir analisar e gerir os riscos de forma simples e de fácil compreensão. 

Mas por que nós facilitamos a Gestão de Risco Regulatório com plataformas automatizadas? A resposta para essa questão é simples! Conectar sociedade e governo. Nossa missão é empoderar empresas e organizações, facilitar todas as tomadas de decisões e criar vínculo próximo com as ações políticas no Brasil. Além disso, temos como importante pilar a transparência pública facilitada e simples!

Qual a importância de fazer a gestão desse risco?

Quem consegue prever ameaças e driblar a Lei de Murphy está em vantagem no jogo da vida. Por isso, quem realiza a Gestão de Risco Regulatório está mais protegido dos perigos externos que uma nova regulação pode causar na sua pauta, negócio ou organização. 

Imagina se você tivesse prestado mais atenção à sua mãe antes dela te colocar de castigo. Provavelmente você teria se comportado melhor, ajudado mais em casa, tirado notas boas, entre outras ações que diminuiriam as chances de você ser castigado. Da mesma forma ocorre com quem faz a gestão do risco regulatório. Se você se atenta ao ambiente no qual está inserido é mais fácil de controlar o resultado ou pelo menos, seus efeitos.

Mas como Compliance trabalha junto com Análise de Impacto Regulatório?

No mesmo sentido, o Compliance é outra forma de gerir em conjunto com Gestão de Risco Regulatório. Ele é a conformidade com as regras. Além do mais, os dois juntos trazem transparência empresarial e segurança das práticas de governança!

Dessa forma, por exemplo, uma Startup que age de acordo com dados,  para que tenha bons resultados geridos por Gestão de Risco e Compliance, tem que seguir todas as leis, como por exemplo a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Além do mais, sabemos que no Brasil, infelizmente há corrupção em várias áreas do setor público e privado. Por esse e outros fatos é tão válido seguir o Compliance e a Gestão de Risco Regulatório nas organizações para fazer a diferença.

Dessa maneira, estar de acordo com Gestão de Risco Regulatório e Compliance é uma maneira de agir com conformidade e obediência diante das leis. Isto é, demonstrar respeito à ética e ter atitude proativa, com objetivo de prever os riscos políticos que nos cercam. 

A Base para RelGov

A atividade do profissional de RelGov não é nada fácil. É preciso estar antenado, acompanhar a tramitação de propostas e matérias legislativas. Além disso, é preciso mapear os Stakeholders estratégicos para um determinado assunto ou pauta, uma vez que o relgover tem como objetivo garantir que os interesses de seus representados sejam alcançados. Assim, esse profissional tem que ler, pesquisar e dialogar muito para ser um profissional de excelência que o mercado exige.

Gestão de Risco Regulatório é a base para as Relações Governamentais, pois quem consegue prever essas ameaças consegue agir mais rápido e de maneira mais assertiva. Antecipar o risco político é o que coloca sua organização em uma zona de segurança. 

Sendo assim, é importante que o profissional de RelGov tenha acesso à uma agenda política que reúna os principais eventos. Além disso, um bom relgover precisa se atualizar sempre, como dito acima. Isso deve ser feito lendo relatórios bem visuais e que tenham as principais informações de diários oficiais, tanto do DOU quanto dos diários de estados e municípios, pois trazem ações políticas muito importantes. Leia sobre os passos para o Monitoramento Executivo.

Então, é essencial registrar em relatórios as ações políticas mais importantes, monitorar e ter acesso à proposições legislativas sempre atualizadas. Todas essas atividades do profissional de RelGov servem para gerir os riscos e direcionar as ações de acordo com o contexto político. 

Todos esses serviços são feitos de maneira simples e tecnológica pela DataPolicy para facilitar a Gestão de Risco Regulatório nas Relações Governamentais.

Através de softwares que mostram o risco e impacto das decisões governamentais, buscamos o direito de todos à informação e dados públicos. Isso feito para maior transparência e maior controle social sobre o bem público!

Compartilhar

Sobre o autor

Letícia Medina

Letícia Medina

Analista de marketing da DataPolicy responsável por estratégia de conteúdo de marketing e marketing digital da startup.